Tuesday, June 30, 2009

Debaixo do tapete

Acordei decidida a limpar a minha casa. Inacreditavelmente estava sem preguiça. Liguei o som alto e comecei pela a cama, estendi o lençol azul, dobrei o cobertor, e cobri com a colcha que mais gosto.

O chão estava cheio de roupas, cintos, meias – como pude ser tão descuidada e ter deixado acumular. A aparência do meu quarto mudou, ficou muito mais habitável.

Banheiro, cozinha, tudo brilhando. Só faltava varrer. Odeio varrer, porque sempre sobra um pouquinho que não cabe na pá. Ou eu pegava um pano molhado para tirar o pó final ou simplesmente empurrava para debaixo do tapete. Como eu já estava cansada de toda arrumação, segui a lei do menor esforço.

Ficou linda a minha casa, nem conseguia mais imaginá-la suja. Dava até gosto de ficar em casa sentindo orgulho do meu trabalho. Dias depois deitei em cima do tapete para ver TV e comecei a espirrar, o pó continuava lá, era tão pouco, mas me fez tão mal. Levantei com raiva e passei o pano molhado no chão.

Continuei espirrando por algum tempo, meu olho até encheu de água, mas já passou. Tá passando.

6 comments:

SchwencK said...

ai cá!!! que lindooo amiga!!!
sou sua fã!!
beijo grande

Carina said...

a recíproca é verdadeira hehe. beijoooo

Mariana said...

Nada melhor que tirar o pó acumulado... é o começo para boas mudanças na vida!

Carina said...

É sim Laine, vida nova!

Tatiana said...

Carmelita

PRecisada de tirar o pó da minha vida.

Depois te conto em que campo preciso de um super espanador.rs

Carina said...

já até imagino hehe